Brasão de Armas: XI Província - Terra de Vera Cruz

 XI. Província - TERRA DE VERA CRUZ


Terra de Vera Cruz foi o primeiro nome dado ao Brasil pelos descobridores portugueses.

Vera Cruz é a denominação dada às relíquias provenientes, segundo a tradição cristã, da verdadeira cruz em que Jesus Cristo foi crucificado. Segundo historiadores dos últimos períodos da Antigüidade, a imperatriz Helena de Constantinopla (c. 250 d.C.–c. 330 d.C.), mãe do imperador Constantino, o primeiro imperador cristão de Roma, numa data posterior a 312 d.C. quando a Cristandade tornou-se religião oficial em todo o Império, teria viajado à Terra Santa, fundando igrejas e agências de socorro aos necessitados. Teria sido nessa época que a imperatriz descobriu três cruzes usadas na crucifixão de Jesus e de dois ladrões, Dimas e Gestas, que foi executados com ele. Um milagre revelou qual das três era a cruz verdadeira, a vera cruz.

 

 

O brasão de armas da XI Província – Terra de Vera Cruz é constituído por um escudo e um listel com um moto (divisa ou lema).

O escudo, em estilo português, espanhol ou brasileiro, possui a cor sinopla (verde) que representa heraldicamente o amor, esperança e fraternidade.

Deve-se salientar que a cor sinopla simbolizava a Casa de Bragança, da qual fazia parte D. Pedro I, em referência ao estandarte pessoal de D. Pedro II de Portugal. O verde ainda representa no brasão da nossa Província as nossas matas e florestas e por extensão o território nacional, que da mesma forma que aquelas, deve ser defendido e preservado.

Sobrepondo a cor sinopla do escudo há a peça heráldica altiva de uma onça pintada passante estilizada, com a cabeça voltada para a destra e com aplicações em sable (negro) sugerindo pintas. O amarelo (metal ouro) da onça pintada representa as riquezas que possui a nossa pátria.

A onça pintada é uma representante legítima da nossa fauna rica e exuberante e aqui é também representada como uma advertência ao seu processo avançado de extinção e nosso dever de lhe dar proteção.

A cor branca do listel é o símbolo eterno da paz, do trabalho, da prosperidade e da convivência harmônica entre os habitantes da nossa Província. O lema escrito no listel esta escrito em latim: Labor et Fides, que significa: Trabalho e Fidelidade.

 

 

Texto do Rev. Cav. Mário del Rey - Rei de Armas